Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

demagogia de bolso

Convencido . Corrompido . Corrosivo .

demagogia de bolso

Convencido . Corrompido . Corrosivo .

Benjamin Clementine e a minha infelicidade

É querer ir vê-lo e já não haver bilhetes, nem para o Theatro Circo nem para a Casa da Música. Que revolta!

 

Mas, por outro lado, fico contente que as salas estejam cheias. Porque um artista - chamar-lhe cantor é tão redutor - como ele merece que as multidões se atropelem por um lugar num espetáculo dele.

 

Estou, neste momento, a morrer de inveja aos bocadinhos por as pessoas que compraram bilhetes.

 

E se acham que não é merecida esta inveja, ou então, porque não o conhecem - quero mesmo acreditar que seja a primeira -, então desfrutem por favor. E mostrem aos vossos amigos, pais, filhos, namoradas e namorados, primos da França, desconhecidos na rua. Vejam o talento de alguém que, há excepção feita a um irmão mais velho, foi ostracizado pela família, colegas, professores. Alguém que escapou da incompreensão e repulsa com que o olhavam para uma cidade como Paris, com apenas 19 anos, e onde, sem sequer falar francês, foi ficando, pernoitando, dormindo nas ruas, e nunca cedendo às tentações de uma vida de marginal. Alguém que soube dar aso à revolta e incompreensão que sentia e que o inspirou a querer ser aquilo que é hoje. Alguém que nos aperta o coração apenas recorrendo da voz e daquelas mãos autodidactas que agora tão bem conhecem pianos e guitarras.

 

Já chega de palavras, é hora de ser ele a "falar-vos":

 

 

2 comentários

Comentar post