Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

demagogia de bolso

Convencido . Corrompido . Corrosivo .

demagogia de bolso

Convencido . Corrompido . Corrosivo .

Discriminação, Correio da Manhã e Cenas

“A grande vitória do Paulinho é ser a pessoa que é”.

 

Começa assim, o título de mais uma notícia do JN. E eu, leitor ávido que sou, faço aqui desde já um "mea culpa", porque, pensava mesmo que era uma notícia sobre aquele deficiente que trabalha como roupeiro do Sporting. Enganei-me redondamente. Quer dizer, redondamente não, enganei-me só. Mas não totalmente, ainda consegui acertar na parte do deficiente.

 

Este Paulinho de quem fala o JN, é nada mais nada menos do que o campeão mundial dos 1500 metros, e, desde domingo, também o campeão mundial dos 21 kms, ambas para portadores de Síndrome de Down. Mérito à parte do Paulinho. Convém salientar, que mais à frente na notícia é nos dito que este Vigésimo Primeiro Trissómico foi o primeiro atleta portador desta doença a completar 10 kms seguidos. Lá está. Agora percebe-se porque é que é campeão Mundial dos 21 kms. É o único também. Podiam aproveitar e dizer que é o campeão Mundial dos 11 kms, dos 12kms, dos 13kms, dos 14kms e 600 metros, dos 17 kms e 348 metros, e por aí fora. Se assim for, então chegamos à bonita e emocionante conclusão que este Paulinho já ganhou mais títulos que o outro Paulinho do Sporting desde que entrou ao serviço do clube em 1986. Não sei o que é mais triste realmente: ver um mongolóide a babar-se em plena estrada durante 21 kms de marcha em que passa 20 kms abraçado às pessoas ou, ver um deficiente a lavar as "ceroulas" de craques como o Tíui, o Hanuch, o Quiroga ou o Patacas. Acho que é particularmente gravoso o segundo caso, visto que o próprio clube goza com ele, ou não lhe tivessem atríbuido em 2007 o Prémio Stromp na Categoria Especial. E sabem porque é que é gozo? Porque os prémios Stromp existem desde 1963 e o Paulinho concorre todos os anos sozinho e ainda só conseguiu ganhar uma vez. Só por aqui se vê que ele foi mesmo feito para o Sporting. Anos e anos sem nunca ganhar nada.

 

Voltando ao Paulinho maratonista (um grande lol aqui) e citando mais uma vez o título: “A grande vitória do Paulinho é ser a pessoa que é”. Eu não concordo. A grande vitória do Paulinho não é ser a pessoa que é. A grande vitória dele é ter chegado aos 34 anos. A filha da Bibá Pitta já não pode dizer o mesmo porque ainda não sabe se chega lá.

 

E porque é que falo em discriminação? Falo porque o Correio da Manhã não se dignou a escrever duas linhas que fossem sobre este campeão mundial (outro grande lol aqui). Outros jornais também não. E de certeza que o JN só falou porque a pessoa que fez a peça deve ser familiar ou algo do género. Porque na realidade ninguém quer saber se temos o campeão mundial dos 21 kms na Categoria dos Babões que se Riem por Tudo e por Nada. Da mesma maneira que nos fartamos de ganhar medalhas de ouro, prata, bronze, platina, grafite, calcário e mármore em Boccia, e que para 99% da população portuguesa, esses "medalhados" não passam de espécies de vegetais cuja única diferença para uma alface é que conseguem mover a cabeça (e babarem-se como o Paulinho). De referir que os outros 1% à partida devem ser familiares e amigos. Amigos não deles, mas dos familiares, atenção. Tentando agora não me dispersar muito mais sobre o assunto, porque é que isto incomoda? De facto, não incomoda. Mas acho um piadão do caralho, o Correio da Manhã reportarem notícias que ainda menos relevância têm, até do ponto de vista humorístico. Sim, porque "escarrapachar" nos jornais, que um qualquer brasileiro chamado Gilmar morreu queimado porque acendeu um cigarro na cama e adormeceu, só pode ter finalidades ligadas ao humor. De certeza que esta notícia teve o intuito de fazer rir aquela meia dúzia de alentejanos que ali em Serpa se junta mantinalmente a jogar à lerpa naquelas duas mesinhas colocadas no parque municipal. Não consigo descurar outra finalidade.

 

Mas atenção, no Correio da Manhã também se aproveita muita coisa. Por exemplo, a notícia sobre aquele rapazinho que jogava no Alpendorada e que foi vítima de morte súbita. Hoje, graças ao trabalho exaustivo do Correio da Manhã, ficamos a saber que foi o segundo filho daquele casal a falecer por morte súbita. E o mais engraçado, é que tanto este rapaz, como a sua irmã, faleceram ambos em casa de amigos a comemorarem os aniversários destes. Conclusão: se tiverem mais algum filho, não o deixem ter amigos, já ficou provado que o coraçãozinho deles não aguenta a emoção de ter amigos.

 

Também podia comentar o facto de o Correio da Manhã ter um "Polícia da Moda" que arrasou por completo o vestido da Luciana Abreu na Gala dos Globos de Ouro. É só isto, acho que a partir de "Polícia da Moda" apercebemo-nos todos da dimensão do ridículo.

 

Outra notícia de uma extrema relevância social: ficamos todos a saber que em Relva Grande, S. Teotónio, Odemira, o António Domingos foi espancado com um pau por um vizinho por causa de desavenças relativamente a porcos e a terrenos agrícolas. Mais ridículo ainda é ficarmos a saber que este António Domingos era lenhador, ou seja, o facto de ter sido morto à paulada, é mesmo a Morte a mostrar a sua faceta irónica na hora de levar as almas deste mundo. Para acentuar ainda mais, dizem os moradores dali da beira, que tanto a vítima como o agressor eram amigos. A amizade hoje em dia começa a estar demasiado sobrevalorizada. O que foi pena, foi ninguém ter dado a cara, mas enfim, têm medo de represálias. Nunca sabemos se podemos ser os próximos a levar com um ramo de um eucalipto nas trombas.

 

Para terminar este périplo pelo que se passa no meu país, duas notícias sobre condutores de automóveis: o primeiro, trata-se de um militar que, todo bêbado, esbarrou-se contra um sinal em Faro, tendo no entanto saído ileso do acidente. Após soprar ao balão acusou 2,2 g/l, isto às 10 da manhã. Está mais do que claro a "sanção" a aplicar ao sujeito: imediata atribuição de uma medalha de mérito por conseguir estar tão bêbado à hora que eu costumo tomar a minha meia de leite direta, e uma consequente integração naquela lista dos 6000 militares que vão ser promovidos este ano nas Forças Armadas. O segundo caso, tem a ver com um sujeito que foi condenado a 20 meses de prisão efetiva, após ter sido apanhado pela décima terceira vez num espaço de 19 anos a conduzir sem carta. Bem, a melhor pena a aplicar seria obrigá-lo a tirar a carta, mas como pelos vistos ele também não sabe ler torna-se um bocado difícil. Por isso, sinceramente acho que ele não vai aprender lição nenhuma e já o estou mesmo a ver no dia em que terminar de cumprir a sua sentença, assim que sair do estabelecimento prisional, estou a imaginar o guarda a perguntar-lhe:

 

"Então Zé, queres que te chame um Táxi?"

 

"Não, não. Deixa estar. Eu tenho ali o carro estacionado."