Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

demagogia de bolso

Convencido . Corrompido . Corrosivo .

demagogia de bolso

Convencido . Corrompido . Corrosivo .

Suicídio Assistido

Sei que é um tema forte e que ainda não estamos preparados para o debater na nossa sociedade. Foi o que foi com o Aborto e, mais recentemente, com o Casamento entre casais homossexuais.

 

No entanto, venho aqui colocar o foco na temática do suicídio assistido e, consciencializar as pessoas que é preciso legitimar o suicídio assistido em Portugal.

 

Não estou a falar de eutanásias, nem de mortes medicamente assistidas (a mesma coisa dita de duas formas). Não. Nada disso. Estou a falar da maior "espécie" de suicídio assistido que "grassa" em Portugal. É aquele tipo de suicídio em que uma pessoa mata-se (ou tenta, uma vez que a tentativa também é "punível", no que importa aqui para o caso), e as pessoas vão logo a correr para o Facebook na tentativa de saber, desesperadamente, o nome, a idade, o sexo, a altura, a cor do cabelo, quantas vezes arranjava as unhas por mês, a filiação política, se era destra ou canhota, se era apoiante do Passos ou do António Costa, se fosse grega se teria votado Sim ou Não no referendo, se tinha alguma opinião formada sobre o aquecimento global e o que achava das imagens mais recentes de Plutão.

 

É este tipo de suícidio assistido, senhoras e senhores, que tem vindo a "imperar" e a proliferar em Portugal. Ainda ontem, no meu concelho, bem perto de onde eu nasci e sempre morei, uma "jovem" com um historial já longo de "depressões e instabilidades psicológicas", tentou-se suicidar atirando-se abaixo de uma ponte. Estes são os factos. Mas não são aqueles que importam, aqueles que importam é saber tudo o que se passa agora na vida da senhora para podermos cada um de nós opinar sobre a vida dela. É para este comportamento que eu quero consciencializar as pessoas. Porque os idiotas que fazem isto, que se humilham e humilham as pessoas envolvidas neste tipo de tragédias, em busca de uma qualquer informação só para alimentar a sua curiosidade mórbida e desprovida de racionalidade e bom senso, também são pessoas, e temos de saber ser superiores a esta mediocridade que se vai expandindo no nosso país.

 

Eu, sinceramente, não me interessa se a jovem se matou ou não, quais eram as motivações dela, se o fez por desespero ou por desporto. Todas as hipóteses são válidas quando não passam de pura especulação. E, nisso, nem os corretores da bolsa de Wall Street, senhoras e senhores, são melhores que nós. Porque em especulação ninguém nos bate.

 

E especulando um pouco, só espero que a jovem não tenha estragado a estrada com a queda, é que passo lá diariamente de carro e não queria estar a ter de trocar de pneus.