Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

demagogia de bolso

Convencido . Corrompido . Corrosivo .

demagogia de bolso

Convencido . Corrompido . Corrosivo .

Percebes que o País vai mal...

Quando até o Bruno Nogueira se indigna e se revolta: 

 

"Um nojo que cresce, e a vida como se nada fosse. Uma bola no estômago em forma de raiva, e vergonha, e tudo. Ricardo Salgado vê a sua caução ser reduzida para metade pelo Tribunal Central de Instrução Criminal. Dos antes 3 milhões, terá que pagar apenas um milhão e meio para limpar a sua vida que não tem por onde ficar mais suja. Na mesma semana, como nos filmes maus, fica a saber que a sua reforma vai triplicar para um valor de 90.000€. Isto num país que tem de encontrar moedas entre as almofadas do sofá para pagar o dia de amanhã. E a vida segue, e o sol nasce, e nada acontece. A impunidade a qualquer preço num país que não merece ser pontapeado desta maneira. A merda que passa e acena a quem fica. O nojo que cresce. Merda por todo o lado, e mais merda. Merecíamos melhor. Merecíamos que a corrupção fosse punida por quem tem a responsabilidade jurídica e moral para o fazer. O país a ser defendido por nada. O que nos protege é um antibiótico que mata. Espalha a doença e segue, ninguém viu. Vítimas do BES com vidas destruídas por alguém que agora sai premiado. Mereciam melhor. É um país ao contrário, que já perdeu os sapatos, calça meias de cores diferentes e nada acontece. Amanhã tudo segue como ontem. Nada acontece a quem compra a liberdade nas traseiras de tudo. Assim é difícil acordar todos os dias. Assim é difícil não querer chamas e fogo e gritos. Feitas as contas, assim é difícil encontrar Portugal."

Tou? Eu tou e Twoo? #1

À primeira vista tem tudo para nos conquistar. Dá-nos a entender que poderá ser a prova viva de que o "Amor à primeira vista" existe mesmo, o que, não sendo dos fáceis e desatentos, nos obriga a ir "mais fundo" na desmistificação deste pináculo de perfeição feminina. Numa ilação simplista extraímos um conjunto de qualidades perfeitamente capazes de, por si só, nos deixar de queixos caídos.

 

Primeira qualidade: todo o Homem gosta de uma mulher que tolere a nossa paixão por bola. Alguém (alguma) que nos ama incondicionalmente mesmo que nós demos um pontapé na televisão sempre que o adversário marca um golo, merece, pelo menos, uma vida em plena comunhão efetiva sem necessidade de ligar para a APAV. Mas, se por obra da Santa Providência, um de nós, Homens da Bola, tiver o feliz fortúnio de conhecer aquela rapariga que mais de tolerar a nossa paixão pela bola, participa nela com ou mais fulgor e entusiasmo do que nós, então rapazes, essa é a mulher de sonho. É aquela que dizemos aos amigos quando a vemos passar na rua destilando charme: é a TAL! E essa é a primeira qualidade deste "pedaço"!  Mais do que "mulher de ir à bola", esta mostra ser mulher capaz de deitar abaixo o plantel da Académica todo de uma vez, e olhem que não deve ser nada fácil fazer um gangbang com o Piloto, o Taborda, o Plange e o Makonda. E ainda ela tem sorte que já não leva com o bigodinho do Viterbo ali a chafurdar nas bordas. Nunca um cachecol foi tão acertado: "O Sonho de Gerações".

 

Segunda qualidade: extraída também indiretamente pela sua paixão futebolistica. Este tesouro, senhores e outros senhores, é um portento de altruismo e solidariedade. O facto de ser uma "groupie" da académica significa que esta donzela é uma defensora dos pequenos e oprimidos. Alguém que batalha pelo direito dos pobres poderem comer umas migalhas - visto que o José Eduardo Simões come o "pão" todo que há para aqueles lados. Daquelas que não abandona o barco quando chega a tempestade, uma vez que só quando chove consegue ficar húmida. Bastante religiosa e virada para Deus, uma vez que tem uma paciência de Jó (ou Job), não acha nada chato, até porque de chatos só mesmo os que traz consigo - e não, não é no cabelo.

 

Terceira qualidade: a sua quase cegueira. Dá para ver pelos binóculos que usa, que este "toucinho do céu", sem as lunetas, não deve ver um caralho à frente dos olhos. Provavelmente, mesmo com óculos, já há muitos anos, desconfio eu que desde sempre, que em matéria de caralhos a coisa deve andar pelo mesmo resultado. Basicamente, com esta formusura, podemos andar com outras gajas, que nunca a traímos, uma vez que, e já dizia a minha avozinha: "O que os olhos não veêm, o coração não sente"! Pois bem, esta de certeza que não vê.

 

Quarta qualidade: localização. Pois é. Além de ser natural da magnifica cidade dos estudantes - seus marotos, já a pensar em mil e uma maneiras de praxá-la e pô-la de quatro, não me enganam -, tem a benesse de se encontrar mesmo no centro do país, o que só dá a entender que está disponível tanto para os do Norte, como para os da Capital, os Algarvios e para o Tio Celestino de Serpa e restante Associação Cultural e Recreativo da Sesta Alentejana Debaixo do Chaparro.

 

Não percam esta oportunidade de serem felizes com este projeto de gente. Agora a sério, das duas uma: ou só teve 4 meses de gestação, ou isto - como dizia o RAP numa das suas rúbricas da Mixórdia - "Foi Deus a gozar".

 

 

 

IMG_0968.PNG

 

 

Dar mérito a quem o merece #1

Mais uma "pérola" ou momento de genialidade de uma das melhores páginas de humor que sigo no Facebook, e do qual sou completamente fã!

 

Estes "rapazes" merecem todo o reconhecimento do mundo!

 

Um Azar do Kralj

 

"- Então é assim... um pão de forma, sem côdea desta vez... meia dúzia de bananas, uns abacates... sabes ver se estão maduros?
- Não íamos treinar os lances de bola parada?
- Já fazes isso, calma. Vês alguém com pressa aqui?
- Temos um jogo crucial no domingo...
- E eu não sei? Foda-se, se não fosse esse jogo já tinha ido às compras.
- Ok, tudo bem.
- Em relação aos abacates, estás a ver aquela espécie de tronco pequenino na parte de cima? Arrancas aquilo, se estiver mais esverdeado podes trazer, quer dizer que estão bons para comer.
- E se estiverem verdes?
- Há sempre uns maduros, é uma questão de procurares. Se te vires à rasca pede ajuda a uma empregada.
- Certo... trago quantos?
- Podem ser uns 3 ou 4. Às vezes são mais pequenos. Não sei, decide tu. Depois... uns ovos, mas vê se há algum partido... uns douradinhos, umas coxinhas de frango, uns patés la piara... aliás, traz antes manná, de atum. E mais o quê? O que é que eu precisava mais... falta-me qualquer coisa.
- O Bushmills não estava a acabar?
- Precisamente! Bom, está aqui tudo escrito tintim por tintim. És o melhor adjunto de sempre eheheh traz qualquer coisa para ti!
- Mas a seguir treinamos os lances de bola parada?
- Não era nada o Bushmills, foda-se! Papel higiénico, é isso.
- De quantas folhas?
- Pode ser de 2. Deixa-me acertar contas com o BES e logo volto ao de 4."

 

um azar do kralj.jpg

 

Desafio - Quero, Posso e Mando

A convite da doce Mula, e só mesmo por ser alguém que admiro e que sigo atentamente - puro elogio, uma vez que não faço a mais mínima ideia de quem seja -, aceito este desafio do Quero, Posso e Mando. Por motivos pessoais, as respostas vão ser um bocado dissonantes do tom que me é caracteristico. Mas, sinceramente, também prefiro ser assim mais para o honesto e sincero, comigo próprio inclusive, nestes desafios, porque como a Mula disse e muito bem, obriga-nos a pensar mais em nós próprios.

 

Sem mais demora:

 

QUERO muito que o Natal chegue depressa para poder voltar a abraçar o meu irmão mais novo que foi de Erasmus. Com todo o orgulho e felicidade que sinto por ele, ainda assim parte-me o coração esta distância, e, lamechas como sou, é algo que ainda não aprendi a lidar bem. Quero muito também, pelo menos, voltar a vê-la - quem segue o blog, já sabe o nome, é escusada publicitá-la sempre. E queria muito conseguir ter inspiração para acabar, pelo menos um, no mínimo um, dos muitos excertos que vou escrevendo.

 

POSSO ter muitos defeitos, inclusive ser convencido, mas tenho um coração de ouro. Tento ajudar tudo e todos, e faço-o, porque tive e tenho a sorte de ter tudo na vida que preciso, enquanto que muita gente não tem, e custa-me aceitar que a vida toda de uma pessoa seja pré-determinada por uma "espécie de lotaria divina". Ninguém pede para nascer. Muito menos para nascer em circunstâncias que não se desejam a ninguém.

 

MANDO para o caralho - perdoem-me por favor a linguagem - todas aquelas pessoas que recusam ajudar quem lhes pede ajuda, em puro desespero. Não se nega comida a quem tem fome. Pelo menos não se devia negar em nenhum lado do mundo. E seja rico ou pobre. Se alguém me pedir de comer, até pode ser a pessoa mais rica do mundo, não consigo e espero nunca conseguir dizer que não. Não sou ninguém para julgar. Mas já posso ser alguém para ajudar, e se ajudar. E mando que toda a gente faça o possível, por mais pequeno que seja, para fazer desta merda a que chamamos mundo, um sítio muito mais humanamente melhor. Por exemplo, a Helpo, em que 20 euros por mês - sim, eu sei que para muita gente é dinheiro, nem discuto isso, mas para outros são 4 maços de tabaco -, pode mudar/salvar a vida de uma criança que não pediu para nascer, e muito menos ser pobre, ou pior que pobre.

 

 

E pronto, está cumprido o desafio.

 

Não vou nomear ninguém em específico, mas sintam-se todos convidados a fazê-lo :)

 

Peço imensa desculpa pelo sentimentalismo, promete restabelecer-me rapidamente do que me apoquenta, e voltar a trucidar muitos e bastantes com comentários, observações e demagogias :)